Consumo de café deve crescer 3,5% este ano, estima Abic

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Herszkowicz: colheita em 2018/19 não deve ser tão grande quanto se esperava O consumo de café no Brasil pode crescer 3% […]

Blairo já vê fim de embargo dos EUA à carne in natura

Por Kauanna Navarro | De São Paulo O embargo à carne bovina in natura brasileira pelos Estados Unidos chegará ao fim em outubro, informou ontem Blairo Maggi, ministro da Agricultura. […]

CRESCE CAPTAÇÃO DE FUNDOS DE AÇÕES DO BRASIL, APONTA EPFR

Por Eduardo Campos | De Brasília Os fundos de ações e dívida com foco nos mercados emergentes completaram a quinta semana consecutiva de captação de recursos no período encerrado dia […]

INABILITAÇÃO DE EXECUTIVO DO CRUZEIRO DO SUL É MANTIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, manteve a pena de inabilitação de Luis Felippe Índio da Costa e Luis […]

PESSOAS FÍSICAS COMEÇAM A PUXAR VOLTA GRADUAL DOS EMPRÉSTIMOS

Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Marcelo Kopel, do Itaú Unibanco: começamos a ver uma melhora na demanda A retomada do crédito já começou. E, embora tenha engatado apenas […]

NOVAS EMPRESAS QUEREM MUDAR COBRANÇA DE DÍVIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo “Não falamos em cobrança nem em negativação, queremos resolver o problema sem conflito”, diz Lahoud, da QueroQuitar! Uma pequena sala com dez funcionários […]

ÍNDICES FINANCEIROS POSITIVOS ANTECIPAM REAÇÃO ECONÔMICA

Por Arícia Martins | De São Paulo Uma espécie de círculo virtuoso começa a se desenhar no mercado financeiro, apesar da crise política que ganhou novos contornos a partir da […]

BIS FAZ ALERTA PARA “DÍVIDA GLOBAL OCULTA” DE ATÉ US$ 14 TRILHÕES

Por Assis Moreira | De Genebra Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS: ausência de inflação intriga e eleva tomada de risco O Banco de Compensações Internacionais […]

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

19/08/2014

Dona da Nextel deve pedir recuperação judicial em agosto

A dificuldade da NII Holdings, controladora da Nextel Brasil, de melhorar seus resultados e lidar com uma enorme dívida, principalmente no Brasil, pode levar a companhia a um processo de recuperação judicial nos próximos meses. A sinalização foi levantada pela própria operadora americana no balanço financeiro do segundo trimestre e, para analistas, este caminho é provável. O Valor apurou que o pedido de recuperação deverá ser feito na segunda quinzena de agosto.

“Apesar das ações que tomamos para melhorar nosso desempenho operacional, falhamos em nossos esforços, deixando a companhia com uma posição de liquidez que não é suficiente para sustentar o negócio”, escreveu Steve Shindler, presidente-executivo da NII Holdings, no relatório de resultados. A dívida líquida somava US$ 4,75 bilhões no fim de junho.

O prejuízo líquido da NII Holdings mais que dobrou de abril a junho, na comparação com um ano antes, para US$ 623,3 milhões. A perda de 5,6% de seus usuários, em uma base agora em 9,4 milhões de assinantes, e a queda da receita média por assinante (de US$ 36 para US$ 28) na comparação anual, contribuiram para a queda de 23% da receita, para US$ 968,8 milhões.

No Brasil, a empresa passou de um lucro de US$ 107,3 milhões no segundo trimestre de 2013 para perdas de US$ 56,2 milhões em igual período deste ano. A base de usuários aumentou 8%, para 4,2 milhões, mas a receita média por assinante passou de US$ 43 para US$ 30, na relação anual. Ainda que a venda de aparelhos tenha ajudado a ofuscar parte da queda da receita com serviços, o faturamento caiu 17%, para US$ 479,4 milhões.

“O desempenho financeiro continua a refletir a deterioração da base de receita”, disse Juan Figuereo, diretor financeiro da NII Holdings, no relatório de resultados. A empresa sofre com a ameaça competitiva da América Móvil e da Telefónica, que usam a tecnologia sem fio 3G e 4G em grandes mercados da América Latina, com velocidade mais rápida em planos de internet.

Sem força para entrar na briga com grandes operadoras, a NII Holdings decidiu intensificar os planos de redução de custos e conversa com credores para uma possível reestruturação da dívida, mas a tarefa é difícil.

Para o BTG Pactual, a recuperação judicial é o desfecho mais provável para a NII, que apresentou no segundo trimestre “os piores resultados operacionais da história”. O banco afirma que deixará de cobrir a ação, tanto pela possibilidade de a companhia entrar em recuperação judicial, quanto pelo pequeno valor que restou aos acionistas. A recomendação era de venda e o preço-alvo, de US$ 3,50, mas a ação acabou reduzida a apenas alguns centavos neste ano.

A ação da controladora da Nextel Brasil despencou mais de 75% na bolsa americana de tecnologia Nasdaq ontem, a US$ 0,16, o menor preço da história. Em um ano, a queda acumulada é de 97,6%.

Uma parcela de US$ 443,1 milhões da dívida da NII Holdings com bancos vence na sexta-feira (15). Como a empresa já sabia de antemão que não conseguiria pagar, começou a negociar com os credores antecipadamente. Assim, poderá entrar com o pedido de recuperação judicial com acordos já estabelecidos.

A venda de ativos estratégicos também é uma das opções para a NII Holdings. Em março, a companhia contratou o banco de investimento UBS como conselheiro para explorar opções estratégicas para o futuro dos negócios. Contratou também o banco Rothschild, que assumiu a responsabilidade de modificar a estrutura de capital e melhorar a liquidez de longo prazo da empresa, com possíveis reestruturações ou refinanciamentos.

Em documento enviado à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, a empresa diz não descartar opções estratégicas como parcerias, acordos de serviços e venda de ativos no Brasil e no México, responsáveis por 87% das receitas operacionais totais da companhia.

Via: Jornal Valor

Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae