Consumo de café deve crescer 3,5% este ano, estima Abic

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Herszkowicz: colheita em 2018/19 não deve ser tão grande quanto se esperava O consumo de café no Brasil pode crescer 3% […]

Blairo já vê fim de embargo dos EUA à carne in natura

Por Kauanna Navarro | De São Paulo O embargo à carne bovina in natura brasileira pelos Estados Unidos chegará ao fim em outubro, informou ontem Blairo Maggi, ministro da Agricultura. […]

CRESCE CAPTAÇÃO DE FUNDOS DE AÇÕES DO BRASIL, APONTA EPFR

Por Eduardo Campos | De Brasília Os fundos de ações e dívida com foco nos mercados emergentes completaram a quinta semana consecutiva de captação de recursos no período encerrado dia […]

INABILITAÇÃO DE EXECUTIVO DO CRUZEIRO DO SUL É MANTIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, manteve a pena de inabilitação de Luis Felippe Índio da Costa e Luis […]

PESSOAS FÍSICAS COMEÇAM A PUXAR VOLTA GRADUAL DOS EMPRÉSTIMOS

Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Marcelo Kopel, do Itaú Unibanco: começamos a ver uma melhora na demanda A retomada do crédito já começou. E, embora tenha engatado apenas […]

NOVAS EMPRESAS QUEREM MUDAR COBRANÇA DE DÍVIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo “Não falamos em cobrança nem em negativação, queremos resolver o problema sem conflito”, diz Lahoud, da QueroQuitar! Uma pequena sala com dez funcionários […]

ÍNDICES FINANCEIROS POSITIVOS ANTECIPAM REAÇÃO ECONÔMICA

Por Arícia Martins | De São Paulo Uma espécie de círculo virtuoso começa a se desenhar no mercado financeiro, apesar da crise política que ganhou novos contornos a partir da […]

BIS FAZ ALERTA PARA “DÍVIDA GLOBAL OCULTA” DE ATÉ US$ 14 TRILHÕES

Por Assis Moreira | De Genebra Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS: ausência de inflação intriga e eleva tomada de risco O Banco de Compensações Internacionais […]

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

29/06/2017

Varejistas criticam estratégia de shoppings

Por Adriana Mattos | De São Paulo

Maia, da Chilli Beans: “Que Deus ilumine a cabeça desses donos de shoppings, ou teremos que achar outro lugar para crescer”

Varejistas questionaram ontem a estratégia e o modelo de operação dos shopping centers no país, durante a BR Week, evento do setor de varejo, com críticas à expansão desordenada dos empreendimentos e às dificuldades de negociação com os operadores.

Para o presidente da Chilli Beans, Caito Maia, há pouca flexibilidade nas negociações com lojistas e as empresas só reagem quando o varejista ameaça fechar as lojas e abrir pontos em rua. “Criamos um modelo de loja de rua novo, numa tentativa de expandir mais para esses locais […]. Acontece que hoje, só se eu falo que vou fechar loja em shopping é que eles não me deixam fechar e querem conversar. O que digo é que Deus ilumine a cabeça desses donos de shoppings, ou nós vamos ter que achar outro lugar para crescer”, afirmou ele.

Questionado sobre o assunto no evento, o empresário Flávio Rocha, presidente da Riachuelo, disse que houve um crescimento “muito acelerado e desorganizado” de shoppings no país nos últimos anos. “Houve um boom de shoppings, que foram ficando mal distribuídos, com uma guerra de egos entre eles, abrindo muitos [centros comerciais], especialmente nesse eixo Rio de Janeiro-São Paulo”, disse.

“Um abria um shopping o outro [rival] ia lá e abria também, e isso foi destruindo valor de forma brutal [no setor]”, afirmou.

“O que tentamos fazer é avançar numa análise muito minuciosa de abertura de pontos e ter uma relação muito franca com os ‘shoppeiros’, compartilhando informações, inclusive de custo de ocupação, para ver se avançamos nessa relação”, disse Rocha.

A piora do ambiente econômico, com retração no consumo no país, obrigou shoppings e lojistas a renegociarem condições de contrato, especialmente após 2016, com descontos em aluguel e despesas sendo acordado entre as partes por período médio de seis meses. A alta da inadimplência de lojistas levou os grupos de shoppings a buscar esse caminho, mas alguns empreendimentos começam a acenar com hipótese de cortar esses descontos ainda neste ano.
Pesquisa apresentada ontem na BR Week, em São Paulo, elaborada pela PwC, mostrou a pressão maior sobre o formato de loja física no país, foco central da operação dos shoppings.

Houve uma perda da força da loja física neste período de recessão econômica, em relação à venda por smartphones. Varejistas têm sido unânimes em afirmar que a função das lojas físicas têm passado por uma revisão com o avanço das mídias digitais no mundo, e o aprofundamento das crises acaba acelerando esse processo de mudanças.

Segundo a pesquisa da PwC, os canais de venda como lojas tradicionais, tablets e computadores têm sido menos usados em compras, de forma geral, de acordo com um índice de frequência de compra medido anualmente pela PwC. A exceção foi o smartphone. Foram ouvidas 1.016 pessoas entre agosto e setembro, e a frequência de uso dos celulares em compras subiu de 30% para 31% entre 2015 e 2016. Na loja física, caiu de 58% para 55% o número de pessoas que informa comprar mensalmente no canal. A pesquisa foi apresentada pelo sócio da PwC Brasil, Hércules Maimone.

De acordo com o levantamento, mais da metade dos brasileiros (53%) pesquisa produtos na internet antes da compra (média mundial é 44%) e 45% dos consumidores no país comparam os preços em sites (versus taxa no mundo de 38%). Além disso, 47% já compraram alguma vez no site da Amazon no Brasil – a operação local vende basicamente livros, enquanto no exterior há uma ampla opção de itens.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae