Carne-bovina-ganha-competitividade-em-relação-a-carne-de-frango-em-maio

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

alphaville-1

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

negociação-distributiva

CORTE DE TAXA DE ADMINISTRAÇÃO OPÕE CSHG A EX-EXECUTIVO

Por Adriana Cotias | De São Paulo Freitas, da Hedge: convocação de AGE para eleger comitê é medida “protelatória” Uma discussão sobre a redução da taxa de administração do fundo […]

Leonidas_Herndl-Ibovesp0001-Marcus_Herndl_Filho

IBOVESPA RESISTE À REALIZAÇÃO DE LUCROS E SOBE PARA 74.788 PONTOS

Por Chrystiane Silva e Juliana Machado | De São Paulo As perspectivas positivas com a retomada do crescimento econômico e a queda dos juros faz com que a bolsa de […]

size_960_16_9_gpa2

ABILIO DINIZ INICIA PROCESSO CONTRA GPA POR ALUGUÉIS

Por Paula Selmi | São Paulo O empresário Abilio Diniz decidiu levar à câmara de arbitragem a discussão com seu ex-sócio Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar (GPA), a […]

SerEducacional2014-03-09 às 11.38.42

GRUPO SER NEGOCIA AQUISIÇÃO E FARÁ AUMENTO DE CAPITAL

Por Beth Koike | De São Paulo A Ser Educacional informou ontem que está negociando a aquisição do controle de uma instituição de ensino, cujo nome não foi revelado. A […]

jbs

JBS VENDE IRLANDESA MOY PARK E ALONGA DÍVIDA

Por Vanessa Adachi, Fernando Lopes, Fernanda Pressinott, Camila Souza Ramos e Rodrigo Rocha | De São Paulo Lovette, CEO da Pilgrim’s: aquisição posicionará a companhia “como player global” Não é […]

Grãos

SISTEMA AJUDARÁ A NORTEAR COMPRA DE GRÃOS

Por Bettina Barros | De São Paulo Indústria e organizações ambientais apresentarão hoje, em São Paulo, a “Agroideal”, uma nova plataforma para a cadeia da soja. Mas, diferentemente de outras […]

café-1

MERCADO VOLTA AS ATENÇÕES PARA A PRÓXIMA FLORADA DO CAFÉ

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Após uma florada antecipada da safra 2018/19 em regiões de café do Sudeste brasileiro, induzida por chuvas em agosto, produtores e […]

3-31.08

Tributação 300% maior faz empreendedor individual resistir a virar microempresa

Por Thais Carrança | De São Paulo Por R$ 182, o administrador de empresas Bruno Di Carlo Capanelli se viu diante de um dilema. Microempreendedor individual (MEI) desde 2015, o […]

03/07/2017

Mercado total de produtos oferecidos porta a porta tem recuo de 2,8%

venda-direta

Por Tatiane Bortolozi | De São Paulo

O volume de negócios no setor de venda direta recuou 2,8% de janeiro a abril de 2017, em comparação a igual período de 2016. Esse canal de distribuição movimentou R$ 13,7 bilhões no quadrimestre, considerando todos os tipos de produtos oferecidos – de cosméticos e roupas a alimentos -, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (Abevd).

“O primeiro quadrimestre ainda sente os impactos do quadro de dificuldade econômica, porém há otimismo porque muitas categorias começaram a explorar o canal recentemente e há uma curva de aprendizado até que atinjam a estabilidade”, diz Roberta Kuruzu, diretora-executiva da Abved. “No médio prazo vemos boas oportunidades e vemos que a crise econômica trouxe um olhar mais criativo para empreender em venda direta, com novos portfólios e novos revendedores.”

A associação refinou sua metodologia de pesquisa, a fim de incluir novos setores, e concluiu que o volume de negócios em 2016 foi 13% superior ao considerado anteriormente. Assim, as vendas diretas movimentaram R$ 45,7 bilhões em 2016, valor R$ 5,3 bilhões superior aos R$ 40,4 bilhões antes apurados.

A nova metodologia apontou melhoras decorrentes da maior contribuição de empresas com atuação em setores diferentes dos tradicionais, como o de cosméticos, de onde boa parte da base de dados era extraída, diz Roberta. Foram entrevistados tanto empresas quanto consumidores.

Diante da percepção das empresas de que o mercado era maior do que o previsto, a associação saiu a campo para aprofundar o conhecimento em novos tipos de serviços e produtos que ganharam representatividade na venda direta recentemente, como vestuário e alimentos. A diversificação de áreas de atuação é um reflexo da diversificação de canais para atender o consumidor de forma mais completa, principalmente em alimentos, diz Roberta.

O novo dimensionamento levou em conta 11 categorias, seguindo a classificação da Federação Mundial de Associações de Vendas Diretas. Cosméticos representam 40,4% do setor no Brasil. Vestuário é o segundo maior (11,8%), seguido por acessórios (10,3%), alimentos (6,6%), cuidados para a casa (6,1%) e utilidades domésticas (4,6%). A metodologia considera ainda a venda de serviços como reforma da casa, produtos financeiros e brinquedos.

O setor conta com 4,3 milhões de revendedores, mesmo número contabilizado na pesquisa anterior. Um revendedor trabalha, em média, com catálogos de produtos de cinco empresas diferentes.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae