Consumo de café deve crescer 3,5% este ano, estima Abic

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Herszkowicz: colheita em 2018/19 não deve ser tão grande quanto se esperava O consumo de café no Brasil pode crescer 3% […]

Blairo já vê fim de embargo dos EUA à carne in natura

Por Kauanna Navarro | De São Paulo O embargo à carne bovina in natura brasileira pelos Estados Unidos chegará ao fim em outubro, informou ontem Blairo Maggi, ministro da Agricultura. […]

CRESCE CAPTAÇÃO DE FUNDOS DE AÇÕES DO BRASIL, APONTA EPFR

Por Eduardo Campos | De Brasília Os fundos de ações e dívida com foco nos mercados emergentes completaram a quinta semana consecutiva de captação de recursos no período encerrado dia […]

INABILITAÇÃO DE EXECUTIVO DO CRUZEIRO DO SUL É MANTIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, manteve a pena de inabilitação de Luis Felippe Índio da Costa e Luis […]

PESSOAS FÍSICAS COMEÇAM A PUXAR VOLTA GRADUAL DOS EMPRÉSTIMOS

Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Marcelo Kopel, do Itaú Unibanco: começamos a ver uma melhora na demanda A retomada do crédito já começou. E, embora tenha engatado apenas […]

NOVAS EMPRESAS QUEREM MUDAR COBRANÇA DE DÍVIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo “Não falamos em cobrança nem em negativação, queremos resolver o problema sem conflito”, diz Lahoud, da QueroQuitar! Uma pequena sala com dez funcionários […]

ÍNDICES FINANCEIROS POSITIVOS ANTECIPAM REAÇÃO ECONÔMICA

Por Arícia Martins | De São Paulo Uma espécie de círculo virtuoso começa a se desenhar no mercado financeiro, apesar da crise política que ganhou novos contornos a partir da […]

BIS FAZ ALERTA PARA “DÍVIDA GLOBAL OCULTA” DE ATÉ US$ 14 TRILHÕES

Por Assis Moreira | De Genebra Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS: ausência de inflação intriga e eleva tomada de risco O Banco de Compensações Internacionais […]

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

25/08/2017

DUAS RODAS INVESTE PARA DOBRAR RECEITA ATÉ 2020

Por Cibelle Bouças | De São Paulo

Leonardo Zipf, presidente da Duas Rodas: 30% da receita virá do exterior

A Duas Rodas, fabricante brasileira de aromas e ingredientes para alimentos e bebidas, anunciou um investimento neste semestre de R$ 11 milhões em um centro de tecnologia e inovação no Brasil e em uma fábrica na Colômbia. O aporte faz parte de um plano de investimentos de R$ 400 milhões, iniciado em 2015 e que se encerra em 2020. Esse montante engloba novas fábricas, investimentos em pesquisa e inovação e aquisições. A meta da companhia é dobrar até 2020 a receita da companhia, chegando a R$ 1,4 bilhão.

Leonardo Fausto Zipf, presidente da Duas Rodas, disse que a companhia vai instalar um laboratório de pesquisas ao lado da fábrica que já possui em São Bernardo do Campo (SP), com investimento de R$ 3,5 milhões. A unidade será usada para desenvolvimento de produtos, pela Duas Rodas ou em parceria com empresas clientes. A previsão é inaugurar esse centro no primeiro semestre de 2018.

Na Colômbia, onde a Duas Rodas já possui uma fábrica, será instalada uma nova unidade fabril, para dobrar a capacidade produtiva no país. “O mercado colombiano tem absorvido bem nossos produtos. Precisamos da expansão para atingir o aumento de vendas projetado para esse país”, afirmou Zipf. O mercado internacional responde por 13% a 14% da receita da Duas Rodas e tende a crescer de forma acelerada com a instalação de fábricas novas. Em 2016, a empresa instalou duas unidades, na Argentina e no Chile. “A expectativa é que o negócio internacional supere 30% da nossa receita até 2020”, afirmou o executivo.

Em 2016, a Duas Rodas registrou crescimento de 17% na receita em relação a 2015, para a R$ 735 milhões. O resultado, segundo Zipf, foi obtido com aumento de vendas no Brasil e no exterior. Para este ano, a previsão é crescer 15% em receita. “Ainda há muitas oportunidades de expansão no mercado interno. Mas vemos o mercado internacional como uma avenida de crescimento”, afirmou Zipf.

O executivo informou que espera crescer primeiro na América Latina, onde a empresa já atua, e, mais tarde, avançar nos mercados americano e europeu.

Zipf acrescentou que a companhia estuda fazer três aquisições no Brasil e no exterior até 2020, como parte do projeto de expansão. A Duas Rodas mapeou 25 empresas no Brasil, México, na Colômbia e nos Estados Unidos. “Começamos a fazer as abordagens. Acredito que a companhia consiga fechar a primeira aquisição até meados de 2018”, disse. No foco estão fabricantes de ingredientes alimentícios com produtos inovadores ou diferencial tecnológico.

Do plano de investimentos de R$ 400 milhões, a Duas Rodas já aplicou R$ 170 milhões. Esse valor foi investido na instalação de fábricas na Argentina e no Chile, e na compra da Mix Indústria de Produtos Alimentícios, em 2015. Zipf disse que os investimentos são feitos com recursos próprios, linhas de financiamento do BNDES e subvenções da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Por ano, a empresa destina em torno de 5% da sua receita para projetos de pesquisa e desenvolvimento.

A Duas Rodas atua há 91 anos na produção de ingredientes para indústrias de alimentos e bebidas. A companhia possui quatro fábricas no Brasil, quatro fábricas na América Latina (Argentina, Colômbia, Chile e México), sete centros de pesquisa e desenvolvimento e um centro de inovação. A Duas Rodas produz pouco mais de 3 mil itens entre aromas, extratos naturais, condimentos, aditivos, ingredientes para sorvetes, confeitaria e panificação, ingredientes para ração animal, entre outros. A empresa exporta para 30 países e possui em torno de 10 mil clientes no mundo. Segundo Zipf, a Duas Rodas é a maior empresa de ingredientes no Brasil e a segunda maior da América Latina, atrás da suíça Givaudan.

De acordo com dados da Euromonitor International, o mercado de ingredientes no Brasil movimentou 29,2 milhões de toneladas em 2016, ficando estável em relação a 2015. Para este ano, a consultoria projeta um incremento de 0,7% no volume consumido, chegando a 29,3 milhões de toneladas. Entre 2016 e 2021, esse mercado crescerá, em média, 1,2% ao ano, estima a Euromonitor.

Globalmente, o mercado de ingredientes cresceu 1,5% em 2016, chegando a 596,5 milhões de toneladas. O crescimento é sustentado pelo aumento do consumo na região Ásia Pacífico, no Oriente Médio e na África. Nas Américas, o consumo tende à estabilidade e na Europa Ocidental, cai. Até 2021, o consumo global vai crescer, em média, 2,1% ao ano, prevê a Euromonitor.

Em relatório, o analista da Euromonitor International, John Madden, indicou como tendências a preferência crescente dos consumidores por aromas naturais em lugar dos ingredientes artificiais. Extratos de ervas, ingredientes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias tendem a crescer 7% ao ano até 2021, estima o analista. Concentrado de proteína de soro de leite em pães, proteínas de algas, arroz e aveia também foram citados como itens com demanda acima da média do setor.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae