Café-Coffe1

Consumo de café deve crescer 3,5% este ano, estima Abic

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Herszkowicz: colheita em 2018/19 não deve ser tão grande quanto se esperava O consumo de café no Brasil pode crescer 3% […]

exportações

Blairo já vê fim de embargo dos EUA à carne in natura

Por Kauanna Navarro | De São Paulo O embargo à carne bovina in natura brasileira pelos Estados Unidos chegará ao fim em outubro, informou ontem Blairo Maggi, ministro da Agricultura. […]

unittrust6

CRESCE CAPTAÇÃO DE FUNDOS DE AÇÕES DO BRASIL, APONTA EPFR

Por Eduardo Campos | De Brasília Os fundos de ações e dívida com foco nos mercados emergentes completaram a quinta semana consecutiva de captação de recursos no período encerrado dia […]

size_960_16_9_banco-cruzeiro-do-sul-143

INABILITAÇÃO DE EXECUTIVO DO CRUZEIRO DO SUL É MANTIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, manteve a pena de inabilitação de Luis Felippe Índio da Costa e Luis […]

dinheiro-emprestado-familiares

PESSOAS FÍSICAS COMEÇAM A PUXAR VOLTA GRADUAL DOS EMPRÉSTIMOS

Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Marcelo Kopel, do Itaú Unibanco: começamos a ver uma melhora na demanda A retomada do crédito já começou. E, embora tenha engatado apenas […]

dividaa

NOVAS EMPRESAS QUEREM MUDAR COBRANÇA DE DÍVIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo “Não falamos em cobrança nem em negativação, queremos resolver o problema sem conflito”, diz Lahoud, da QueroQuitar! Uma pequena sala com dez funcionários […]

bovespa5

ÍNDICES FINANCEIROS POSITIVOS ANTECIPAM REAÇÃO ECONÔMICA

Por Arícia Martins | De São Paulo Uma espécie de círculo virtuoso começa a se desenhar no mercado financeiro, apesar da crise política que ganhou novos contornos a partir da […]

divida-publica

BIS FAZ ALERTA PARA “DÍVIDA GLOBAL OCULTA” DE ATÉ US$ 14 TRILHÕES

Por Assis Moreira | De Genebra Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS: ausência de inflação intriga e eleva tomada de risco O Banco de Compensações Internacionais […]

Carne-bovina-ganha-competitividade-em-relação-a-carne-de-frango-em-maio

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

alphaville-1

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

27/06/2014

CVS revê proposta de aquisição no país

bovespa5

Esfriaram as negociações para a aquisição do controle da DPSP, dona das Drogarias Pacheco e São Paulo, pela americana CVS Caremark. Segundo apurou o Valor, a CVS já teria retirado a proposta da mesa, de cerca de R$ 5 bilhões pelo controle, após dificuldades para que as partes chegassem num acordo quanto ao montante a ser pago pela DPSP, como antecipou ontem o Valor Pro, serviço de informações em tempo real do Valor. Até o momento, segundo uma fonte próxima à rede, as conversas entraram em “banho-maria” por falta de acordo em relação ao valor final da operação.

Segundo fonte ouvida, os controladores entendem que o valor da empresa gira em torno de R$ 7 bilhões a R$ 8 bilhões – a rede soma cerca de 800 lojas e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de R$ 345 milhões em 2013. A receita líquida foi de R$ 5,47 bilhões e no ano passado.

Teria pesado de forma contrária a uma evolução mais rápida das conversas a posição da família Barata, fundadora da Drogarias Pacheco, com sede no Rio de Janeiro. O presidente do conselho de administração da DPSP, Samuel Barata, vê o negócio com resistências por considerar que ainda há espaço para ganhos maiores para a rede nos próximos anos – a empresa está em fase de integração de seus negócios -, o que poderia elevar o valor de uma negociação para venda no futuro.

Segundo apurou o Valor, a CVS considerou a hipótese de subir a última proposta de compra para uma soma acima R$ 5 bilhões – esse valor equivale a 14 vezes os R$ 345 milhões de Ebitda em 2013. O montante proposto teria alcançado R$ 6 bilhões.

Nos planos de expansão no Brasil por meio de aquisições, a CVS quer manter os sócios na gestão das redes de drogarias locais, pelo menos por um período de tempo, por causa das particularidades regionais dos negócios. Isso esteve na mesa de negociações com Pacheco e São Paulo.

A DPSP estaria aberta para negociar num patamar de 20 a 25 vezes o valor do Ebitda, ou seja, na faixa dos R$ 8 bilhões. Procuradas, as empresas não se manifestaram.

De certa forma, o recado sobre os limites que a CVS considera para reforçar seu crescimento no país ficaram mais claros semanas atrás.

Em conversa com analistas nos Estados Unidos em maio, Larry Merlo, presidente da CVS, disse que a empresa adotará uma “abordagem disciplinada” em termos financeiros nas análises para expansão no Brasil. A afirmação foi feita após ele ser questionado sobre a evolução da operação brasileira por meio de aquisições.

A DPSP é a segunda maior rede de drogarias do país e a sua aquisição poderia ser o atalho mais rápido para a CVS ocupar uma posição de destaque no varejo de farmácias brasileiro. Com a DPSP e com a operação da rede Onofre, já adquirida em 2013, a CVS passaria a ter apenas 150 lojas a menos que a líder do setor Raia Drogasil.

Como antecipou o Valor em janeiro, a CVS tem buscado novos negócios no Brasil desde 2013. Em junho, a revista “Exame” informou que a CVS ofereceu R$ 4,5 bilhões pela DPSP, que teria contratado o Morgan Stanley para tratar das negociações. O fundo Pátria estaria representando a CVS. Morgan e Pátria não comentam a informação.

 

Via: Jornal Valor

Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae