Consumo de café deve crescer 3,5% este ano, estima Abic

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo Herszkowicz: colheita em 2018/19 não deve ser tão grande quanto se esperava O consumo de café no Brasil pode crescer 3% […]

Blairo já vê fim de embargo dos EUA à carne in natura

Por Kauanna Navarro | De São Paulo O embargo à carne bovina in natura brasileira pelos Estados Unidos chegará ao fim em outubro, informou ontem Blairo Maggi, ministro da Agricultura. […]

CRESCE CAPTAÇÃO DE FUNDOS DE AÇÕES DO BRASIL, APONTA EPFR

Por Eduardo Campos | De Brasília Os fundos de ações e dívida com foco nos mercados emergentes completaram a quinta semana consecutiva de captação de recursos no período encerrado dia […]

INABILITAÇÃO DE EXECUTIVO DO CRUZEIRO DO SUL É MANTIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional, o Conselhinho, manteve a pena de inabilitação de Luis Felippe Índio da Costa e Luis […]

PESSOAS FÍSICAS COMEÇAM A PUXAR VOLTA GRADUAL DOS EMPRÉSTIMOS

Por Sérgio Tauhata | De São Paulo Marcelo Kopel, do Itaú Unibanco: começamos a ver uma melhora na demanda A retomada do crédito já começou. E, embora tenha engatado apenas […]

NOVAS EMPRESAS QUEREM MUDAR COBRANÇA DE DÍVIDA

Por Vinícius Pinheiro | De São Paulo “Não falamos em cobrança nem em negativação, queremos resolver o problema sem conflito”, diz Lahoud, da QueroQuitar! Uma pequena sala com dez funcionários […]

ÍNDICES FINANCEIROS POSITIVOS ANTECIPAM REAÇÃO ECONÔMICA

Por Arícia Martins | De São Paulo Uma espécie de círculo virtuoso começa a se desenhar no mercado financeiro, apesar da crise política que ganhou novos contornos a partir da […]

BIS FAZ ALERTA PARA “DÍVIDA GLOBAL OCULTA” DE ATÉ US$ 14 TRILHÕES

Por Assis Moreira | De Genebra Claudio Borio, chefe do Departamento Monetário e Econômico do BIS: ausência de inflação intriga e eleva tomada de risco O Banco de Compensações Internacionais […]

Carne bovina atiça protecionismo europeu

Por Assis Moreira | De Genebra Juncker, presidente da Comissão Europeia: em busca de entendimento Setores protecionistas da Europa estão alarmados diante de indicações de que a União Europeia pretende […]

GRUPO FLEURY VOLTA A FAZER AQUISIÇÕES

Por Beth Koike | De São Paulo Carlos Marinelli, do Fleury: “Nossa última aquisição foi em 2011 com o Lab’s” Após seis anos sem fechar aquisições, o Fleury volta às […]

12/07/2017

Ativos da massa falida da Laginha começarão a ser leiloados

Por Marina Falcão | Do Recife

Os ativos da massa falida do grupo alagoano Laginha, do ex-deputado e usineiro João Lyra, começarão a ser leiloados neste mês. Com dívida R$ 2 bilhões, o grupo até agora não desembolsou um centavo sequer para o pagamento dos credores desde que teve a falência decretada pela Justiça pela primeira vez, em 2012.

O terreno e o imóvel onde funcionava a sede a empresa, à beira-mar em Maceió, vão a leilão dia 26. O ativo é avaliado em R$ 15,7 milhões. Na mesma ocasião, também será leiloado um apartamento de R$ 650 mil, um imóvel comercial de R$ 145 mil e uma aeronave modelo EMB-820C Carajá avaliada em R$ 340,5 mil.

Bens mais valiosos da massa falida, as cinco usinas (três em Alagoas e duas em Minas Gerais) têm valor de mercado estimado em R$ 1,88 bilhão. Somente a Graxuma, em Alagoas, é avaliada em R$ 854 milhões. As usinas estão sendo preparadas para também irem a leilão, mas antes é necessário resolver “discussões agrárias”, afirma Paula Lobo, especialista em recuperação judicial do escritório Da Fonte Advogados, que assessora o administrador judicial da falência. “Se levarmos as usinas a leilão sem resolver essas questões, há o risco de depois ser decretada a nulidade do processo”, explica ela.

Enquanto as usinas não podem ser vendidas, estão sendo arrendadas para gerar receita para o pagamento dos credores. Segundo Paula, a realização dos ativos da Laginha entrou em uma fase “mais ágil” desde que a Justiça determinou um novo administrador judicial, a Lindoso e Araújo Consultoria, em março. “Há uma preocupação grande de acelerar os trâmites pois os ativos podem se deteriorar com o tempo”, diz.

Na decisão que destituiu administrador, gestor judicial e perito do processo anteriores, os juízes afirmaram que eles “tiveram a oportunidade de demonstrar sua capacidade ao longo do tempo em que exerceram as funções e não lograram, sequer, a realização de parte do pagamento dos créditos oriundos da relação de trabalho, o que já se afigura razão mais do que suficiente para a quebra da confiança ensejadora da sua substituição”.

Hoje com 86 anos, o usineiro João Lyra foi senador por Alagoas (1988 a 1990) e, enquanto deputado por duas vezes, foi considerado o parlamentar mais rico do país. Seu último mandato se encerrou em 2015, quando atuava pelo PSD.

Em 2008, o grupo pediu recuperação judicial e quatro anos depois teve a falência decretada. Em 2013, o empresário conseguiu reverter falência com uma decisão judicial favorável. No entanto, após julgamento do mérito, a falência foi redecretada no ano seguinte. Depois disso, João Lyra entrou com recurso questionando a falência no Tribunal de Justiça de Alagoas, que ainda não foi remetido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para apreciação.

Na lista de credores inscritos no processo, terão prioridade os trabalhistas, para os quais a Laginha deve mais de R$ 124 milhões. Além de fornecedores e prestadores de serviços, a Laginha deve ainda a 19 instituições financeiras um total de R$ 463,25 milhões. As maiores dívidas são com Banco do Nordeste, Bank of America Merrill Lynch, Banco Rural e BNDES. Em tributos, são mais de R$ 600 milhões. O leilão da sede, dos imóveis e da aeronave será conduzido pelos leiloeiros Renato Schlobach Moysés e Osman Sobral e Silva.

Via: Folha de São Paulo — Clipping de notícias de Marcus Herndl Filho, com informações do país e do mundo, além de finanças, economia e demais temas pertinentes.
< Voltar ao início

contato@marcusherndl.com.br

© 2014 - Todos os direitos reservados - Marcus Herndl

Goodae